quinta-feira, 2 de setembro de 2010

It's the end of the world as we know it...

Venho aqui falar hoje de algo que vêm me preocupando cada vez mais. Só um aviso, é papo nerd pra caralho, se você não se interessa por videogames, mercados e idéias sobre isso, vaza que esse post pode ofender seus olhos liferulers, pois tem muito da minha mente como jogador. Então, aviso dado, vamos para ele.

A questão é a seguinte, garotada: o mercado dos games hoje se popularizou pra caramba, alcançando, graças ao Wii e aos jogos do iPod Touch/iPhone, um mercado novo de jogadores. Logo, isso indica que mais e mais pessoas estão voltando suas atenções para o que temos como "jogos casuais". Que, nada mais são do que jogos que não são voltados ao "viciado". São joguinhos que prendem sua atenção por alguns momentos, te agrada um bocado e, por fim, você volta pra sua vida. Esse tipo de jogos atraiu muita gente que antes fugia dos consoles, pois geralmente um jogo prendia você a ele por mais de 40 horas para que você pudesse ver o final, e essas pessoas, por terem vida social muito ativa, fugiam deles. Até aqui, nada novo, certo?

O lance é que é assim, galera. Hoje temos o mercado de games invadidos por ports de jogos antigos, cheios de bônus, modos de jogabilidade mais fácil e mais curta, cheios de extras, enfim. Toda essa parafernália que não tínhamos antes. Além, é claro, de inúmeros títulos novos, com premissas nada exageradas, apenas divertir as pessoas. Muitos deles são conhecidos como "facebook-based", jogos voltados para comunidades virtuais, como é o caso do próprio FarmVille/Colheita Feliz, aonde seu objetivo é apenas cuidar de sua fazenda, colher a sua plantação, enfim, um ode à vida do campo. Algo como o famoso Harvest Moon.



Qualquer semelhança não é mera coincidência, amigos.

Enfim, chegamos ao ponto aonde eu queria chegar: o mercado está ficando "saturado" desses jogos. Inúmeros jogos do tipo "Tower Defense", aonde você tem que impedir seus adversários de chegar ao seu "castelo", colocando diversas defesas. Inclusive, temos o Crystal Defenders, que saiu para várias plataformas,  inclusive sendo portado para o iPhone/iPod Touch, que contava com diversas classes dos jogos Final Fantasy, contra inimigos também já conhecidos.

Certo, tendo em mente isso, eu digo a vocês que, com a popularização de jogos desse tipo, voltados para o público casual, temos que MUITOS compram esses aplicativos na AppStore do iTunes, ou então até pirateiam (o que é MUITA sacanagem, afinal esses jogos muitas vezes custam menos de um dólar), e esse mercado vai, de vento em popa. E isso (na minha opinião, claro) é o que pode matar o mercado de vídeo-games como o conhecemos.

A cada dia saem versões novas de jogos antigos, aonde você toma uma surra dos gráficos na sua cara, deixando tudo mais bonito, tudo mais "real", mas deixando a história de lado. Claro, enquanto tivermos jogos como Assassin's Creed, Gears of War, Final Fantasy's, ainda teremos salvação no mercado, pois jogos assim aliam o gráfico com uma história boa por trás. Porém, essa tá deixando de ser a realidade. Com a popularização da Apple como empresa de jogos e vendedora de "consoles" agora (cara, é uma piada isso, só pode), o que temos é uma enxurrada de jogos sem história, sem replay, com a trilha sonora que não enche os olhos e ouvidos, contando apenas com seu preço baixo e o fator diversão inicial como atrativos. Nem mesmo os jogos que prometeram muito, como é o caso de Zenonia, conseguem prender os jogadores por muito tempo. Esses jogos não foram designados para isso, e sim pra divertir em sua maioria os jogadores casuais, deixando os hardcore players de lado.

Claro, eu posso estar realmente enganado em estar fazendo uma projeção ousada dessas, posso me enganar e a Apple se firmar como uma excelente concorrente para a Nintendo, a Sony e futuramente Sega e Atari (existem projetos para a volta de ambas empresas como vendedoras de console novamente) e trazendo algum personagem marcante para a história, como um Mario, ou um Sonic. Porém, tendo em vista o mercado que temos hoje, fico temeroso. Afinal, pra que fazer bem feito se o meia boca vende absurdos? Pra que enfiar um jogo de 15 dólares na AppStore, se com 15 cópias do Robot Unicorn Attack (um dos jogos para iPod Touch), temos o mesmo retorno financeiro?

É essa a minha visão. Caso, dentro dos próximos anos, as empresas tenham em mente que precisam dos consumidores mais antigos também, o cenário dos vídeo games que viram filmes, por causa de suas tramas bem desenvolvidas, pode vir a morrer por falta de algo palpável.

Se bem que um filme do Robot Unicorn seria deveras hilário.

Fecho o post com ele pra vocês. Adult Swim consegue fazer pérolas incríveis quando quer.


9 comentários:

Moon Goddess disse...

Fiquei com medo dessa telinha do Robot unicorn attack!!
Belo post!! Fiquei com vontade de ir pra casa agora e ligar meu mega drive ou master system! Os jogos hoje em dia são tão fáceis de se "zerar" que esses dias tentei fechar o Alex Kidd e nao cheguei nem na metade de onde eu ia antigamente!!

Filipe Aguiar disse...

Discordo, como sempre. O rádio sobrevive. A internet não substituiu a TV. E o mercado de Home Vídeo não matou o cinema e esse não matou a literatura.

As pessoas gostam do que gostam e há mercado pra todos os gostos.

O que está acontecendo é que o mercado de jogos está chegando em um público que antes não chegava. Pessoas que nunca jogariam um God Of War jogam Farmville.

E se parte do mercado de hardcore gamers migrar pra os casual games, a geração que vem por aí vai repor esse contingente com novos hardcore gamers. Simples assim.

Pessoas mais novas adoram Pokémon, adoram passar 200 horas subindo de nível, decorando tabelas e fraquezas. Outras com menos tempo disponível curtem curtem jogar um Plants vs Zombies e depois deixar pra lá.

O que acontece é que o público alvo de jogos está se EXPANDINDO, não migrando de um tipo de jogo pra o outro.

Assim, empresas como a Zynga (ou seja lá qual for o nome) aparecem enquanto outras, como Square-Enix, Konami e Sega continuam firmes e fortes.

MagusDiablo disse...

O problema, Rounin, é que cada dia menos títulos consistentes vêm sendo lançados, até a própria Square se vendeu pra esses jogos, lançando jogos que não são nem de longe os clássicos que ela tem capacidade de criar pois ela sabe que vende menos.

Momo Noguiko disse...

Bem, isso é um tema que já venho discutindo à bastante tempo com meus conhecidos.

O mercado de jogos vai mudar, não estamos mais naquela época do cartucho, onde você tinha que literalmente caçar pra conseguir um jogo que você queria muito (Meu Harvest Moon 64 só fui encontrar num fim de mundo, o DDD era até diferente!)

Hoje a internet faz parte da nossa vida, não importa o quanto você odeie isso, não há como escapar.

Jogos online já são uma realidade de... 5 anos praticamente senão mais, hoje cada vez mais e mais jogos online estão sendo lançados como se fossem lavagem pra porco, é quase igual ao cenário que você está expondo dos jogos.

Mas é aquela coisa, sempre existirão os melhores no meio de tanto jogo, não acho que o futuro (pelo menos pros consoles) seja tão obscuro, na verdade vai ser mais divertido dependendo do que fizerem.

To achando que me embaralhei toda, mas enfim, jogos logo todos serão conteúdo donwlodeável, Xbox, Wii e PS3 já fazem isso, então jogos bem casuais já são realidade (Principalmente no WIi, quer coisa mais casual que Wii Sports?).

Rodrigo disse...

Eu também discordo.

Falar de mercado de jogos é algo muito complexo, principalmente aqui no Brasil onde o desenvolvimento é mínimo e se paga cerca de R$250,00 em um lançamento pra plataformas como PS3 e XBox 360.

A realidade é que existem inúmeras empresas de desenvolvimento de jogos ou aplicativos para as mais diversas plataformas. Se pra você o 'mercado' está saturado de jogos em um único tipo (como você falou dos tower defense), ou jogos em geral que são fracos, sem conteúdo e com trilhas sonoras que não te prendem, eu sinto muito. Qualquer jogo criado tem apenas um objetivo para você jogador/consumidor: o ENTRETENIMENTO. Potanto fica a seu critério escolher se pra você um jogo é legal ou não, trata-se apenas uma questão de gosto.

Citando alguns exemplos, Gears of War pra Xbox 360 é um jogaço, mas na minha opinião a história é fraca pro primeiro jogo da série (tanto que estão prestes a lançar o 3º). Porém, o foco do jogo é o capacidade (e qualidade) gráfica e o fator diversão. Melhor exemplo: Left 4 Dead. História zero, mas juntar seus amigos pra uma campanha pra matar zumbis alucinados até chegar a um objetivo é legal pra caramba. O mesmo vale pra jogos de luta, onde só hoje em dia é que existe uma construção por trás do personagem, ou como um jogo de esportes cujo objetivo é ganhar a partida.

Enfim, a graça dos jogos é a diversão que ela te proporciona. Atualmente a Apple vem ganhando força com a venda de seus aplicativos/games pro iPod Touch/iPhone justamente pela forma em como ela se torna disponível para o público. Há quem adore os jogos de iPod, como tem pessoas que passam horas jogando Colheita Feliz no Orkut ou Mafia Wars no Facebook. Eu tenho um PS2 e um Xbox 360 (até pouco tempo atrás tinha um PSP) com jogos que possuem gráficos lindos, histórias fodidas, mas achei o máximo o aplicativo Sopa de Letrinhas pro iPod (onde o objetivo é criar um número específico de palavras com algumas letras disponíveis), e não abro mão do meu celular com Tetris. O importante, no final, é você se divertir com os jogos que lhe proporcionam diversão.

Leonardo disse...

Larga de "truezismo".

Você está é incomodado com o mercado que está sendo explorado por todas empresas de games, que está deixando você, jogador hardcore um pouco de lado justamente porque você não dá grana. O público sempre vai existir, afinal, quantos games da Barbie não existem? Alguem compra aquela merda...

A Blizzard fez isso mto bem c/ Diablo a anos atrás, c/ World of Warcraft a pouco tempo e agora temos Starcraft 2. É towerdefense com história, no minimo, decente.

Fetiche por marcas, Final Fantasy (escolha o numero), Gears of War, Left 4 Dead, Need for Speed, é o que todo mundo tem, e tem medo de ser "traido".

A Apple não é desenvolvedora de games, o que ela está fazendo a longo prazo é criar uma plataforma de entretenimento, que além de livros e musica inclui games.

Se formos chorar por plataformas esquecidas, me traga o 3DO de volta.

Daqui a pouco vc vai reclamar dos tablets, e que eles ferem o conceito de "pc true caixotão que te deixa com dores nas costas pq eles são uma merda".

Nando disse...

A única coisa que me incomoda hoje em dia é Colheita Feliz/Mini Fazendas, esse treco parece um verme que se alimenta da sua conexão... Fora isso os jogos "casuais" não aparentam para mim, uma ameaça ao mercado, eu nunca fui muito Fã de jogos sem história. E teve alguém que disse que hoje os jogos de luta tem história... tipo, The King of Fighters 94 tinha uma história, assim como alguns jogos que sucederam ele da série "Fatal Fury". Basicamente os jogos de luta da Capcom não tinham história.
Acho que se todo mundo quer se divertir com as cópias, tanto faz. Não acho que a indústria dos games vai esquecer de seu público hardcore tão cedo, mas tende a diminuir a atenção dada a ele visto que eles não são a maior fonte de renda deles xD

Só espero poder me divertir, adoro competitividade nos jogos, adoro jogar em duplas, trios o que for, adoro que o time busque um objetivo em comum. É muito bom se divertir com o povo, o ser humano não consegue ser sozinho, portanto, mesmo um sem história tipo left 4 dead tem seu sucesso, o jogo é competitivo e depende muito do time, pra mim, é ótimo apesar de não gostar de jogos FPS no geral.


Anyway, jogos como Heroes of Newerth, Starcraft II, Diablo III, Dota, Tower defences e afins tão aí pra alimentar seupúblico hardcore. :D

Junior disse...

Acho que não acabam os jogos "hardcores" vão continuar ai firme e fortes porém, isso ficará mais restrito cada vez mais a grandes produções o que acaba sendo bom.

A soft que não tem grana não vai mais arriscar em tentar fazer um jogo com grandes gráficos e técnilogis diversas, vão beber da fonta desses casuais e assim vão lotar a galeria de jogos já as grandes softs vão continuar a fazer os "blockbusters" cada vez com mais qualidade e com maior distância entre as continuações (ou não).

Enfim, os casuais vão ter a maior fatia pq são de fato a maioria...

Maldito disse...

Não da pra comentar, pois sou super analógico,..rs